Fala POPTimers! Se prepara, põe o fone de ouvido e corre conferir nossa recomendação de artista independente do mês!

Dessa vez, a gente vem trazendo um incrível “brasileiro gringo“, que aposta suas músicas em algo bem americanizado, vem conhecer o Melon!

Ao ser questionado sobre suas inspirações musicais, Melon disse: Me inspiro muito na Jaira Burns, Hayley Kiyoko, Ariana Grande, Demi Lovato, Ängie, Kim Petras e Bridgit Mendler.

O jovem de 21 anos, nascido no interior de Goiás que atualmente vive em Del Este – PY, apresentou pra gente seu primeiro trabalho de estúdio, intitulado “Under the Rug“, e é exatamente sobre ele que a gente vai falar hoje. Pra quem gosta de um indie/pop do bom, use e abuse!

O trabalho como o próprio nome(“Debaixo do Tapete” em tradução) já diz, fala sobre coisas que a gente guarda pra si mesmo debaixo do tapete com medo de machucar alguém – ou a nós mesmos – mas que no final, sempre precisamos “colocar pra fora”. Ao mesmo tempo que é muito intimista, também retrata muito os sentimentos de quem ama.

No “Under the Rug”, todas as musicas foram feitas na época que eu estava ficando com um menino que eu sempre quis, ele me usou da pior forma possível, revelou Melon pra gente.

Ao mesmo tempo em que soa como um “sonho americano” cantado sob a vibe de Troye Sivan, as faixas do “Under the Rug” conseguem manter a responsabilidade de desabafar com a certeza de quem você se tornou. O mesmo conta com 4 singles e todas as faixas estão disponíveis para serem ouvidas de qualquer plataforma de streaming.

Eu estou em processo de finalização do meu debut-álbum, intitulado “My Rabbits”, vai ser um álbum totalmente dedicado pra mim mesmo.

As favoritas da redação POPTime:

Nesse tópico, nós do POPTime separamos as nossas músicas favoritas do trabalho, recomendamos que se quer conhecer o artista, comece por elas. Bora lá?

Loust Soul (Intro)” não se enquadra nas favoritas, mas ganha o espaço por aqui por preparar muito bem a ambientação pra quem ouvi-lo.

Desperdiçou todo meu amor, criou espinhos nas minhas flores, me deixou como opção perdida;

Deep Waters“, mais uma das músicas que chama muito a atenção pelos instrumentais, traz uma paz enorme quando estamos a escutar as batidas minimalistas da faixa. A mesma fala sobre um relacionamento indeciso, como navegar em águas profundas – literalmente.

Sempre mergulhando, nunca mergulhando.

Mais, mais, nas águas profundas;

Outro bônus aqui é o clima de “Call the Angels” que nos lembrou muito a faixa “Mind Maze“, faixa do “Witness“, último álbum de Katy Perry. O que não se torna uma crítica, mas sim um elogio de nossa parte, pois adoramos a faixa do álbum da Katy Perry, intérprete da faixa!

Every Night” nos passou um sentimento tão sincero de sentir falta de ter alguém pra se doar e receber em troca. Relacionamentos por mais que conturbados em algumas das vezes, fazem falta.

Logo em seguida a gente tem “Secrets“, que depois de desabafar e botar pra fora toda a poeira debaixo do sofá, de se arrepender do que fez e de sentir saudade, fala sobre si mesmo em relação ao seu redor. É muito sobre insegurança, se sentir sozinho e não ter confiança mais em ninguém.

A verdade é o que eu tenho medo

Eu preciso, eu preciso, tentar

Sozinho, sozinho (sozinho);

E chegamos ao fim da matéria(e em um novo começo para a carreira do Melon). Vale lembrar que todas as músicas estão disponíveis nas plataformas e super vale a pena dar uma conferida. E aí, o que acharam? Conta pra gente!